Tag Archives: Saúde

Cardiofitness

Trabalha o músculo mais importante: o coração

Há muito que os portugueses se habituaram a associar o mês de Maio ao coração, na sequência da campanha "Maio mês do coração", da responsabilidade da Fundação Portuguesa de Car­diologia (FPC), que anualmente se empenha em desenvolver um conjunto de actividades para encorajar a população a adoptar estilos de vida saudáveis, nomeadamente através da prática regular de actividade física. De acordo com o personal trainer Hélder Borges, "é importante não confundir- actividade física com exercício físico. Por activi­dade física entende-se qualquer movimento do corpo humano que resulte num gasto de ener­gia, enquanto que o exercício físico consiste num tipo de acti­vidade planeada, que tem como objectivo o aumento da condi­ção física a vários níveis". Para oCardiofitness presidente da FPC, Manuel Carrageta, "a actividade física regular por si só tem inúmeros benefícios, bastando andar meia hora a pé por dia em passo rápi­do". No entanto, "os exercícios isométricos ou de força também são importantes para a saúde, porque servem para conservar e aumentar a massa muscular. Estes exercícios ajudam-nos a controlar o peso, queimando os açúcares presentes nos alimen­tos que ingerimos, ou seja, as pessoas que não têm músculo têm mais dificuldade em con­seguir controlar o peso. Além disso, uma pessoa com massa muscular acaba por ter mais for­ça o que é extremamente impor­tante com o avançar da idade, em que é inevitável uma certa atrofia muscular. Se a pessoa tiver uma massa muscular for­te, embora a vá perdendo com o passar do tempo, continua a tê-la em quantidade suficiente para ter força para desempe­nhar as suas tarefas diárias.

Combata o herpes à mesa.

Apesar de existirem medicamentos que previnem e reduzem os efeitos do herpes, este vírus não tem cura, sendo por isso essencial mantê-lo controlado. Para esse efeito, existem alimentos que contribuem para a "hi­bernação" do herpes, nomeadamente o peixe, o queijo, os ovos e os lacticí-nios em geral. Estes alimentos contêm lisina, um aminoácido que se encon­tra na base de várias proteínas, que ajuda no combate ao vírus através da produção de enzimas, hormonas e anticorpos. Contudo, alimentos como o chocolate, as nozes, os amendoins, o milho ou até a couve de bruxelas podem estimular o aparecimento do herpes, devendo por isso evitar-se ingeri-los em excesso.

Atletismo – Deixar de fumar

Usar a corrida como terapia para deixar de fumar tem quatro vantagens:

•Antes de tudo, ganhas dinheiro. Uma pessoa que fume um maço por dia consegue poupar para ir à Maratona de Berlim e pagar o equipamento desportivo que vai usar todo o ano…

•Ganhas em saúde e bem-estar. As tuas artérias e pulmões, fragilizados por anos de fumo, vão recuperar. Segundo um estudo realizado em Inglaterra, 35 mil fumadores limparam os pulmões e as artérias (diminuindo assim o risco de enfartes e embolias) ao fazerem exercidos aeróbios de forma regular durante dois anos. No entanto, não evitaram o risco de cancro…

•Não engordas. É de recordar que um dos problemas das pessoas que deixam de fumarimage é precisamente o aumento de peso, já que recorrem à comida como substituto do tabaco

Se tomar medicamentos não beba sumos

http://www.europarl.europa.eu/eplive/expert/photo/20050822PHT01285/pict_20050822PHT01285.jpg

Sinais de risco para diabéticos

300 mil não sabem que têm a doença

Entre 200 e 300 mil dia­béticos portugueses não sa­bem que o são. Um núme­ro assustador, ainda mais tendo em conta que muitas vezes quando é detectada a doença já tem vários anos de evolução. Para ter a certeza de que não sofre da doença, o melhor é fazer análises anuais. Mas há pequenos sinais a que deve estar atento. “A doença pode evoluir sem sin­tomas ou serem muito fuga­zes. Mas há sinais que po­dem lançar a suspeita, como beber mais água, urinar mais, levantar-se de noite pa­ra fazê-lo quando não era habitual, cansaço, sonolêntia, por vezes um emagrecimento não explicado e infecções repetidas”, explicou ao 24horas Luís Gardete, coordenador do estudo sobre a preva­lência da diabetes em Por­tugal, que deverá estar terminado noj final do ano.

css.php