Tag Archives: músculo

Cardiofitness

Trabalha o músculo mais importante: o coração

Há muito que os portugueses se habituaram a associar o mês de Maio ao coração, na sequência da campanha "Maio mês do coração", da responsabilidade da Fundação Portuguesa de Car­diologia (FPC), que anualmente se empenha em desenvolver um conjunto de actividades para encorajar a população a adoptar estilos de vida saudáveis, nomeadamente através da prática regular de actividade física. De acordo com o personal trainer Hélder Borges, "é importante não confundir- actividade física com exercício físico. Por activi­dade física entende-se qualquer movimento do corpo humano que resulte num gasto de ener­gia, enquanto que o exercício físico consiste num tipo de acti­vidade planeada, que tem como objectivo o aumento da condi­ção física a vários níveis". Para oCardiofitness presidente da FPC, Manuel Carrageta, "a actividade física regular por si só tem inúmeros benefícios, bastando andar meia hora a pé por dia em passo rápi­do". No entanto, "os exercícios isométricos ou de força também são importantes para a saúde, porque servem para conservar e aumentar a massa muscular. Estes exercícios ajudam-nos a controlar o peso, queimando os açúcares presentes nos alimen­tos que ingerimos, ou seja, as pessoas que não têm músculo têm mais dificuldade em con­seguir controlar o peso. Além disso, uma pessoa com massa muscular acaba por ter mais for­ça o que é extremamente impor­tante com o avançar da idade, em que é inevitável uma certa atrofia muscular. Se a pessoa tiver uma massa muscular for­te, embora a vá perdendo com o passar do tempo, continua a tê-la em quantidade suficiente para ter força para desempe­nhar as suas tarefas diárias.

Treinar em jejum

A hipertrofia muscular

O aumento do tamanho muscular deve-se ao treino com cargas elevadas. As diferenças na composição de fibras, junto com outros factores, poderiam explicar em parte uma grande diferença que existe na resposta hipertrófica aos mesmos sistemas de treino entre indivíduos diferentes. Uma maior densidade de fibras brancas por músculo será essencial para maiores rendimentos na força e hipertrofia. E este é um factor genético.
- A hipertrofia sarcoplasmáticaimage

Caracteriza-se pelo desenvolvimento do sarcoplasma (substância semifluida interfibrilar) e das proteínas não contrácteis que não contribuem directamente na produção da força muscular. Este tipo de adaptação dá-se em culturistas. Os seus treinos não são de força máxima propriamente dita (60 – 80% de RM).

Alimentação para ganhar músculo

Comer para ganhar massa muscular é mais fácil com esta tabela nutricional que divide as calorias em partes iguais entre proteínas, hidratos de carbono e gorduras, para ter um bom equilíbrio nutricional na dieta desportiva.

1. Frutos secos, abacate. 1-2 doses no total: 1/4 de taça de frutos secos não torrados e sem sal, V2 abacate, 1 colher de sopa de sementes de linho.

ÁCIDO LÁCTICO

Não é tão mau como pintam

O ácido Láctico é um produto final do metabolismo anaeróbio. À medida que aumentamos a intensidade do trabalho cardiovascular, aumenta a produção de lactato no músculo, produzindo acidez e fadiga, diminuindo o rendimento. Estas reacções metabólicas sucedem de forma muito significativa em pessoas sedentárias que começam um programa de treino ou em desportistas que não trabalham em intensidades elevadas. Por isso, sempre se pensou que o aumento do lactato no músculo deveria ser evitado a todo o custo. No entanto, investigações recentes demonstraram como em pessoas treinadas algumas célulasÁCIDO LÁCTICO podem reutilizar o lactato para voltar a obter energia utilizando-se através da glucólise anaeróbia. Sem dúvida que isto deixa as portas abertas a novas investigações sobre a reutilização do lactato.

css.php