Tag Archives: Desporto

DEIXASTE DE EVOLUIR?

Se não progrides como corredor, isto interessa-te

Quando corres com regularidade é normal que evoluas ao princípio, que depois estabilizes e que passado um tempo voltes a melhorar o nível. Melhorar é cada vez mais complicado quando se tem um nível muito alto. Por vezes não se evolui porque não se está a correr de forma correcta. Toma atenção às perguntas e toma as medidas certas.

• Tens aumentado a distância dos treinos ao longo de várias semanas?
Mesmo que só tenhas aumentado ligeiramente os treinos, o teu corpo vai precisar de um descanso. Evita o trabalho de velocidade e séries durante as próximas duas semanas e diminui a quilometragem para metade.

• Fazes os treinos longos suficientemente lentos?
Muitos corredores fazem o seu treino longo a um ritmo demasiado semelhante ao do treino controlado ou inclusivamente ao de competição. Corre entre 1’15” e 1’30” por km mais devagar que o teu ritmo de competição.

Windsurf – Uma pena sobre as ondas!

 

Já experimentaste Windsurf? Asseguramos-te que é uma modalidade completamente actual e muito emocionante. Se não conheces, vê neste post aquilo que andas a perder!

Como nasceu o Windsurf?

O perigo da vida sedentária

Não fique parado, pratique desporto

O tecido conjuntivo que forma uma espécie de “traje miofascial” que percorre as nossas cadeias musculares é composto por fibras reticulares, fibras elásticas e fibras de colagénio. Estes são tipos de fibras diferentes mas complementares. As fibras de colagénio são formadas pela reunião de fibrilhas e são muito resistentes à tracção e praticamente inextensíveis, o que as torna ideais para os tendões e ligamentos. As fibras elásticas (sendo o constituinte principal a elastina) são muito elásticas e com pouca resistência à tensão. A função da elastina é a difusão da tensão, conservação da energia, defesa de forças excessivas e recuperação da configuração original. Estes dois tipos de fibras encontram-se a envolver os músculos nessa espécie de “plástico transparente” que é a faseia. A faseia é um dos componentes principais e mais importantes do sistema músculo-esquelético e como já foi referido, em circunstâncias normais ela deve ser suficientemente flexível para permitir a normal mobilidade entre os diferentes tecidos. Por vezes, devido a más posturas que se vão repetindo, cirurgias, traumatismos, processos inflamatórios e mesmo o stress, podem-se criar limitações e aderências na faseia e entre esta e os tecidos vizinhos, o que faz com que ela se torne mais rígida e assim crie pressão em algumas áreas, o que vai provocar dor e restrições de movimento.

Futebol

Praticar exercício físico é benéfico para a saúde do corpo e da mente. Cada modalidade tem as suas próprias características, benefícos e técnicas, mas o futebol continua a ser aclamado como o “desporto-rei”.

Corrida aos ginásios aumenta com a chegada do Verão

Com a chegada do tempo quente e com a necessidade de se usar cada vez menos roupa e de mostrar um pouco mais o corpo, a “corrida aos ginásios”, poucos meses antes da chegada do Verão, começa a ser uma tendência cada vez mais frequente. Na procura de um corpo perfeito, os por­tugueses como que acordam de um período de hibernação e dirigem-se em massa aos ginásios que proliferam de Norte a Sul do país. “No mês de Maio a procura dos nossos ginásios aumenta, não só através da inscrição de novos associados, mas também do aumento de frequência por parte dos sócios habituais, que começam a vir treinar de uma maneira mais regular e intensa, não só as mulheres, como cada vez mais os homens”, refere Ri­cardo Ferreira, Director Comercial do “Holmes Place” da Avenida da Boavista, no Porto. Uma tendência que Mariana Seixo, Gerente do “Viva Fit” de Linda-a-Velha, em Lisboa, corrobora, embora apenas em relação ao sexo feminino, uma vez que este ginásio se destina única e exclusivamente a mu­lheres. “Em termos práticos, o grande objectivo das nossas sócias nesta altura do ano é perder peso. Com o calor a apertar e com as roupas a en­curtar, as mulheres começam a pensar mais na “linha” e acabam por recorrer ao ginásio na tentativa de esculpir o corpo”. No entanto, salienta Mariana Seixo, “somos bastante sinceras com as nossas sócias alertando-as para o fado de não existirem milagres. Este é apenas o início de um processo que a médio/longo prazo vai dar os seus frutos, mas em apenas dois meses é impossível alcançar o objectivo último de conseguir um corpo perfeito”. Ape­sar de a maior parte das pessoas ter consciência de que oimage exercício físico acarreta inúmeros benefícios para a saúde, nomeadamente ao nível respi­ratório e cardiovascular, para além de fortalecer os músculos e baixar o colesterol, continuam a ser as questões estéticas as principais impulsionadoras da sua prática, principalmente nesta altura do ano, uma realidade que não se limita apenas aos portugueses. “A nossa realidade é ligeiramente dife­rente da de um ginásio convencional, porque como estamos inseridos num resort, temos afluência durante todo o ano, tanto de portugueses, como de estrangeiros”, adianta Muno Pi­nheiro, Coordenador de Actividades do “Vale do Lobo Fitness Center”, no Algarve. “Durante o chamado pe­ríodo de Inverno, tanto os hóspedes como os clientes sazonais freqüentam o ginásio, mas de facto nesta altura frequentam-no com mais assiduidade. Aliás, contrariamente ao que acontece com a maior parte dos heatth clubs, que durante, o mês de Agosto estão vazios, o nosso está cheio”, diz Nuno Pinheiro, ressalvando que apesar de nesta altura existir “uma preocupação maior com a questão estética, se veri­fica cada vez mais uma preocupação com a saúde”. De facto, não se deve fazer exercício apenas e só por ques­tões estéticas, mas a verdade é que “as pessoas que procuram o nosso espaço são motivadas, acima de tudo, por elas próprias”, refere Ricardo Ferreira, alertando para os perigos da chamada “ditadura do corpo”, que faz com que as pessoas tentem obter o corpo perfeito a qualquer preço. “Se a pessoa não praticava qualquer tipo de desporto antes de se inscrever no nosso ginásio, desaconselhamos totalmente o exercício físico em ex­cesso e a redução drástica em ter­mos alimentares, nomeadamente no que diz respeito à ingestão de gor­duras e de hidratos de carbono, dois componentes alimentares essenciais para quem faz exercício físico”, con­clui. Não deixe de praticar exercício físico, mas faça-o com conta, peso e medida e, acima de tudo, pelos motivos mais válidos.

css.php