Alimentação para ganhar músculo

Comer para ganhar massa muscular é mais fácil com esta tabela nutricional que divide as calorias em partes iguais entre proteínas, hidratos de carbono e gorduras, para ter um bom equilíbrio nutricional Leia mais »

Fitness exercícios lesivos para mulheres

Fitness, exercícios lesivos para mulheres

O sistema ósseo dos homens e das mulheres é diferente. Nas mulheres a cintura pélvica é mais larga e o comprimento do fémur é menor, portanto o ângulo entre o pescoço e Leia mais »

ESTRATÉGIAS PARA “QUEIMAR GORDURA”

Truques para aceder às reservas de gordura com substrato energético Primeiro treino de força depois cardiovascular Esta ordem é a opção que oferece mais vantagens. Para o treino com sobrecargas, o organismo Leia mais »

Abdominais

Deitado de barriga para cima, pernas flectidas e mãos atrás da nuca. Expira e sobe o tronco, mantendo o abdominal contraído, inspira e desce. As mãos não devem puxar o pescoço, apenas Leia mais »

Variantes: apoios dos pés

Treinar numa postura natural (com as pernas afastadas sensivelmente à largura dos ombros) distribui o peso por toda a zona da coxa, mas quando colocas os pés mais juntos o estímulo passa Leia mais »

O perigo da vida sedentária

Não fique parado, pratique desporto

O tecido conjuntivo que forma uma espécie de “traje miofascial” que percorre as nossas cadeias musculares é composto por fibras reticulares, fibras elásticas e fibras de colagénio. Estes são tipos de fibras diferentes mas complementares. As fibras de colagénio são formadas pela reunião de fibrilhas e são muito resistentes à tracção e praticamente inextensíveis, o que as torna ideais para os tendões e ligamentos. As fibras elásticas (sendo o constituinte principal a elastina) são muito elásticas e com pouca resistência à tensão. A função da elastina é a difusão da tensão, conservação da energia, defesa de forças excessivas e recuperação da configuração original. Estes dois tipos de fibras encontram-se a envolver os músculos nessa espécie de “plástico transparente” que é a faseia. A faseia é um dos componentes principais e mais importantes do sistema músculo-esquelético e como já foi referido, em circunstâncias normais ela deve ser suficientemente flexível para permitir a normal mobilidade entre os diferentes tecidos. Por vezes, devido a más posturas que se vão repetindo, cirurgias, traumatismos, processos inflamatórios e mesmo o stress, podem-se criar limitações e aderências na faseia e entre esta e os tecidos vizinhos, o que faz com que ela se torne mais rígida e assim crie pressão em algumas áreas, o que vai provocar dor e restrições de movimento.

Judo

Os golpes que podem levar ao ouro

Pensamentos mórbidos aumentam o apetite

Melhora a tua resistência para enfrentares maratonas

Maratona de Nova Iorque

Quem já não teve altos e baixos, dificuldades e problemas, estas são oscilações naturais das nossas vidas, saímos mais fortes e confiantes, quando estas dificuldades surgem na vida. Pode ter certeza que o mesmo acontece na corrida, quando incluímos subidas e descidas em nosso percurso. “Irregularidades no trajeto são estímulos que trazem muitos benefícios para o corredor. A dificuldade é apenas uma questão de preparação e diminui gradualmente durante o treinamento. Em minha carreira, tive mais sucessos que insucessos ao incluir as subidas e descidas para os meus atletas”, afirma Adauto Domingues, treinador do bicampeão de Nova York, Marilson Gomes dos Santos.

Pode parecer que as subidas são obstáculos intransponíveis, mas na verdade não importa que sejam longas ou suaves, curtinhas ou verdadeiros paredões. As subidas e suas variações nos que ajudam a trabalhar tanto a potência aeróbia como a anaeróbia, tanto os pulmões como os músculos. O nível de esforço empreendido vai depender do condicionamento físico de cada corredor e são inúmeros seus benefícios e comuns a todos, ajudando no ganho de força e de resistência muscular. Desta forma as subidas longas, acima de 400 metros, ajudam e sugestionam o corpo a poder ativar fibras musculares quando o cansaço começa a bater, ajudando a aumentar o ritmo de corrida no fim de uma prova, já as subidas curtas, que não passam de 100 metros, permitem trabalhar o corpo com uma alta intensidade e com menor risco de lesões.

Fitness, exercícios lesivos para mulheres

O sistema ósseo dos homens e das mulheres é diferente. Nas mulheres a cintura pélvica é mais larga e o comprimento do fémur é menor, portanto o ângulo entre o pescoço e o fémur e sua diáfise é menor. Esta disposição provoca a existência de uma certa convexidade articular nos joelhos que aumenta o risco de instabilidade e de lesões no ligamento cruzado anterior. Por estas razões, devemos prestar atenção a certos exercícios tipicamente femininos. Aqui mostramos-te alguns exercícios que podem causar alterações devido a uma execução incorrecta e uma alternativa mais adaptada ao treino da mulher.

Agachamento com pesos

css.php