Category Archives: Desporto

Verduras

Contra as contracturas come verduras

Quando falamos de ali­mentos para cuidar dos nossos músculos, quase todos pensa­mos em proteínas. Mas é importante não esquecer as verduras: se tens tendência para sobrecargas musculares, deves comer verduras e hortaliças, que pelo teor em magnésio são alimentos chave para evitar contracturas e cãibras. 0 défice de magnésio e os desequilíbrios entre os níveis de potássio e magnésio são actual­mente muito frequentes, devido ao nosso estilo "moderno" de alimentação, o que produz cansaço, tensão muscular e até cãibras. Se fores despor­tista, vais senti-lo primeiro, devido à diminuição do rendimento muscular. Para oVerduras evitar, basta inge­rir habitualmente verduras, frutos secos, legumes e cereais, que são alimentos ricos neste mineral. Já sabes: nunca acabes o dia sem ter comido pelo menos duas porções de verduras ou hortaliças.

Portugal de Skate 2008 percorre costa portuguesa

A iniciativa Portugal de Skate 2008 está a percorrer toda a costa portuguesa desde o passado dia 16 de Junho até ao próximo dia 15 de Agosto. Esta sema­na, o skater Eduardo Abalada, o único que participa ao longo de todo o per­curso, marca passagem pela Praia das Maçãs, Areia, Carcavelos, Charneca da Caparica e Sesimbra seguindo depois para Sul, onde espera que muitos outros entusiastas da modalidade se jun­tem ao percurso. “O Portugal de Skate é um evento que tem como objectivo atrair os jovens para a prática deste tipo de desporto, o longboard skate, porque temos em Portugal óptimas condiçõesskate para o praticar”, explica Eduardo Abalada. “Fazemos o litoral todo, partimos de Caminha, na Ponte sobre o Rio Minho, e terminamos em Vila Real de Santo António, na Ponte sobre o Rio Guadiana, durante dois meses”, explica o skater, que nesta nosso país, muitos são os interessados segunda edição é acompanhado por que se juntam por alguns momentos uma carrinha e por um fotógrafo. Ao a Eduardo Abalada e experimentam o longo dos 1088 quilómetros de costa do longskate.

Desporto – Sugestões

Escolha os ténis certos

Ciclismo – Volta à França

2010 será nas alturas

“O Círculo da Morte” está de regresso à Volta à Fran­ça. Confuso? Passamos a explicar: para comemorar os 100 anos que a prova celebra em 2010, a direc­ção do Tour decidiu que os corredores vão escalar as montanhas Peyresourde, Aspin, Tourmalet e Aubisque, nos Pirinéus.

Treinar pode fazer mal? (parte 2)

Quando o exercício físico se transforma num comportamento compulsivo…

Se não sabemos parar, se o exercício físico se transformar num comportamento compulsivo, a nossa saúde fica logicamente em causa, já que exercitar-se em excesso é sempre prejudicial. Quando isso acontece entramos no campo da vigorexia, um termo que ainda não está presente no DSM (Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais), sendo por isso utilizado o termo Dismorfia Muscular.

«Um indivíduo com dismorfia muscular tem tipicamente uma dependência secundária do exercício. A dependência do exercício é uma má adaptação do indivíduo ao exercício, fazendo com que a ausência da prática provoque um decréscimo da sua produtividade, o que provoca sentimentos de mal-estar generalizado (stress, angústia, etc). Esta outra patologia pode ser dividida em dependência primária (quando o indivíduo tem um comprometimento para com o exercício; o exercício é o objectivo do indivíduo) e dependência secundária (quando o exercício é feito como um meio para atingir um outro treinos fim; nesta situação apresenta igualmente uma perturbação da imagem corporal e/ou alimentar). Quer um quer outro vão sentir culpa por ter faltado ao dia de treino, mas por razões diferentes. 0 primeiro porque sentiu que faltou a algo com que se tinha comprometido e de que gosta – não estará com dismorfia muscular; o segundo sentir-se-á culpado porque, ao faltar ao treino, irá ficar menos fit, não cumprindo os seus objectivos de atingir uma imagem corporal exageradamente grande – este estará numa situação de dismorfia muscular», esclarece-nos António Labisa Palmeira, professor da Faculdade de Educação Física e Desporto da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. A actividade física compulsiva deve ser portanto considerado um transtorno da linhagem obsessivo-compulsiva. Foi o que aconteceu a Carlos Seixas, nome fictício, 24 anos, praticante de musculação (a vigorexia atinge maioritariamente os chamados jovens adultos (18-25 anos), seguida de perto pela faixa etária dos 25-40 anos). «Comecei a fazer musculação aos 19 anos por motivos estéticos, já que desejava ficar mais forte. Inicialmente ficava cerca de uma hora na sala de musculação, mas com Ú tempo esse período aumentou e cheguei a ficar duas horas de manhã e mais duas à noite. Para piorar, comecei a tomar anabolizantes.»

css.php